A escolha de Lula

Em resumo, eu era e ainda sou contra a nomeação de Lula para Ministro da República, mas para isso, fiz inúmeras análises de conjuntura e vários questionamentos. Todos os questionamentos que reflito nesse exato momento.

Lula aceita ser o Ministro da Casa Civil, mas os fatores que devemos analisar são muitos.

Inicialmente, a Operação Lava-Jato que poderia ser a maior ferramenta de combate à corrupção do Brasil, se tornou apenas um processo político. Isso se mostra evidente com a atuação do juiz Sério Moro. É uma pena, quem perde é o Brasil, pois teríamos a possibilidade de iniciar um combate às práticas ilícitas e uma demonstração clara de como funciona o jogo político dos bastidores na república brasileira. Sobraria para todos, desmontaria esquemas e organizações que há décadas se utilizam do espaço público para promover as operações, porém, como todos estão vendo, infelizmente, os rumos das investigações não confirmam isso. Os próprios juristas ficam atônitos quando analisam os casos. A justiça se esvai na ânsia de querer transformar as importantes investigadores em parte do jogo político. São tantos os políticos investigados, dos mais diversos partidos, grandes empresários e mesmo assim, o que se vê, na prática, é apenas uma perseguição aos políticos de um só partido. Não que eles não devam ser investigados, muito pelo contrário, devem ser investigados sem nenhum privilégio, mas quando apenas eles são, o estado de direito não é contemplado, e se o estado de direito não é contemplado não há justiça. Não se faz justiça cometendo injustiça, a lei deve ser para todos. Principalmente numa operação tão importante como essa.

Moro
Sérgio Moro em palestra na empresa de João Dória, pré-candidato à prefeitura de São Paulo pelo PSDB

Nesse contexto, Lula já foi incriminado. Não importa o que ele diga, as provas que ele tenha, os documentos que ele comprove, ele já foi incriminado. Foi julgado pelo Moro, pela imprensa e pela comoção popular, ainda que essa comoção não represente a maioria do povo brasileiro, mas certamente, de uma parcela significativa. Lula seria preso, essa é a verdade. Pois quando o Estado de direito não se faz eficaz, não importa o que as leis digam.

Por outro lado, toda essa crise política que, sejamos sinceros, incentivada pela oposição irresponsável (lembremos que ainda existe sim oposição responsável no Brasil), que ajudou a agravar a crise econômica (leia-se agravar, não criar, ok?), contribui muito para essa polarização bizarra que vivenciamos atualmente. E nessa crise política, jurídica, midiática tudo pode acontecer. A Lava-Jato tem citado toda semana, inúmeros políticos tanto da oposição quanto da situação, isso não é novidade para ninguém, agora, o mais interessante e bizarro disso tudo é que a presidenta Dilma Rousseff não está envolvida com nada. Sejamos sinceros também, Dilma errou na política econômica, mas, se existe alguém nesse balaio todo onde podemos afirmar que possui uma conduta séria e limpa é ela. E assim, é justamente por isso que ela irá pagar o pato. Dilma iria (ou irá) sofrer o Golpe político (sim, é golpe, pois impeachment existe quando o presidente se utilizou do cargo para realizar atos ilícitos em benefício próprio, que não é caso dela), igualmente os outros presidentes da nossa sofrida e peculiar história política com Getúlio, JK, Jango, ou então, dos países vizinhos, Argentina, Bolívia, Venezuela, Chile, com Salvador Allende ou no pífio golpe de estado contra Fernando Lugo no Paraguai recentemente. Na realidade, Dilma já está pagando o pato. Se ela sofresse o golpe, sairia. Com a entrada de Lula, apenas confirmam algo: ela não teve competência para gerenciar o país. O que é triste, pois é a primeira mulher presidente da república e eu, apesar de todos os seus equívocos, ainda confio nela.

15465
Lula na reeleição em 2006

Há quem diga, e não duvido, que o PDMB teria feito a proposta à Lula. Não votarão pelo Impeachment caso ele voltasse ao governo. Agora, pensem, que sinuca de bico foi essa que o colocaram antes de ter que aceitar: Se Lula entra no ministério a imprensa/oposição vai cair matando. Se Lula não entrar, corre o risco de ser preso pela justiça seletiva. Se Lula entrar, pode resolver a crise, mas também, pode se queimar perante o povo. Mas se não entrar, os achacadores do congresso vão derrubar Dilma. Cara, não é simples. Apesar de tudo, Lula não deixará de ser julgado, aliás, nem deve. Se é investigado tem que ser julgado, mas dessa vez pelo STF e não mais pelo juiz Sérgio Moro.

Analisando emocionalmente, eu ainda discordo da posição do presidente Lula, pois acredito que deveria ir até o fim. Mesmo com risco de impeachment, mesmo com a prisão arbitrária que viria. A militância estaria disposta em ir às ruas defender o projeto de país, porém, analisando racionalmente, esse é justamente o problema. Embora alguns setores da oposição adorariam ver o Brasil virar uma praça de guerra, o governo, Dilma, Lula, optaram pela paz, mesmo que isso possa custar ainda mais caro no futuro.

Agora, é torcer para que Lula consiga unir o país e ajudar Dilma a superar a crise política e econômica. Nós, brasileiros, não temos outra alternativa.

Anúncios

“Lula guerreiro do povo brasileiro”

Esse era o grito de guerra que as pessoas gritavam na chegada do ex-presidente à sua entrevista coletiva. Lula acabou há pouco, fez um discurso regaçador, “foi pro pau com os golpistas” como diriam alguns.

lula2

A atitude causou revolta nas redes sociais, pois Lula foi conduzido coercitivamente para dar depoimento de maneira totalmente desnecessária, uma vez que o próprio já havia deixado claro que iria depor tranquilidade caso pedissem. O circo midiático criado em torno do caso, apenas demonstra como estamos anos luz de uma grande imprensa democrática e ética. O que se viu hoje foi um atendado ao Estado de direito.

O erro de Lula

Frente a todo esse circo midiático que criaram sobre o fato do ex-presidente Lula ir prestar um depoimento, fica claro qual foi o erro de Luís Inácio Lula da Silva: transformar o Brasil.

Não é de hoje que perseguem o ex-presidente, sempre foi assim, mas, com o fato de Lula ser cotado a voltar à presidência da república em 2018, a elite brasileira está desesperada. Essa turma não suporta o fato de que um metalúrgico nordestino que estudou até a quarta série, entenda mais de política e economia que eles. Que um cabeça chata do sertão nordestino, tenha mais carisma e carinho com líderes mundiais, que suas falidas personalidades políticas. Não suportam ver as transformações sociais que o país passou nos últimos anos, pois quando estiveram no governo não as fizeram por dois motivos: incompetência e má fé. Não suportam como é incrível analisar o Brasil antes de Lula e pós Lula. Eles sabem que o país é outro e as perspectivas do nosso povo são outras.

Num passado não tão distante, os simples desejos de casa, carro, comida, faculdade, emprego, etc; eram privilégios para poucos. Para alguns, era sonho. Talvez (quase certeza) você tenha se esquecido disso, agora que tudo isso virou normal, mas quando olhar para o teu passado e ver como sua vida mudou, lembre-se, meu caro, o dedo do Lula está aí.

lula

A corrupção do Brasil está na justiça, na elite e na grande mídia, estes, que controlam a política. Basta realizarmos um simples raciocínio lógico: Lula foi convidado à depor por conta de um triplex que seria um presente de construtoras, até aí, ok. Tranquilo. Podem investigar a fundo. Mas, o mesmo combate à corrupção não se dá ao fato de Cerveró ter delatado que FHC recebeu 100 milhões em propina (imaginem se fosse o Lula), ou então, Youssef ter afirmado que 1/3 das propinas de Furnas iriam para o bolso de Aécio. Oras, mas porque não se ouviu nada disso? Eles não deveriam depor também? Porém, quem liga pra isso? Quem viu o FHC ir depor? Quem quer saber mais sobre isso? Claro, que não! O negócio é achar algo do Lula, da Dilma, de alguém do PT. Pera lá! Mas não é combate a corrupção da política brasileira? É obvio que isso é apenas um jogo de perseguição ao Partido dos Trabalhadores visando a eleição de 2018. Qualquer indivíduo com mais de dois neurônios sabe responder essa questão. Não precisa ser Expert em política, basta não ser tapado.

Bom, então só nos resta reconhecer que esse foi o erro (ou não) do Lula: tentar conciliar com a elite nojenta e corrupta desse país, para dar um mínimo de atenção ao seu povo. Ao invés destituí-la e enfiar a elite nas páginas da história, Lula preferiu ser um democrata. Participar da política institucional e, assim, conquistar o máximo de benefícios possível para o povo brasileiro. Ele conseguiu, mas o fato é que está pagando um preço altíssimo por isso. Paga o preço que outros líderes pagaram, por terem dado um mínimo de atenção ao próprio povo. Lula sem dúvidas é a maior personalidade política mundial do pós-guerra fria, não será um festival midiático feito pra entreter tapados que vai mudar a história, esse contexto só servirá para uma coisinha: ou provem algo muito terrível (aliás, se tivessem isso nem presidente do Brasil teria sido) contra ele, ou se preparem por uma vitória esmagadora de Lula em 2018.

Por Arthur Montagnini.